29 de jul de 2010

24 de jul de 2010

A Maldição da Câmera Tremidinha

Mas que bela merda! Aí estão algumas horas da minha vida que eu nunca mais vou ter de volta...
Me refiro à estúpida ideia que tive ao longo dos anos, de assistir uns malditos filmes que o pessoal me recomenda... mas não são quaisquer filmes... estes, são dos gêneros que eu mais considero nojento... são aqueles com “câmera tremidinha” e o maldito “retroscripting” (basicamente, uma técnica de filmagem onde aos atores são dadas alguns caminhos a serem seguidos, e em cima disso eles improvisam).

Até onde eu sei – e eu não vou ficar pesquisando sobre esta merda-, isto surgiu com “A Bruxa de Blair”. Quem não lembra da cena da loirinha com a câmera enfiada no nariz, lamuriando-se do desfecho das coisas? E a ceninha -que viria a ser um clichê -no começo do filme, dizendo que “as filmagens foram encontradas na puta que pariu, e ninguém sabe de mais nada”.

O filme, pelo que me lembro, não traz mostras de sanguinolência... na verdade, a grande manobra dele para se tornar assustador é, de fato, a câmera tremidinha e o mimimi dos personagens...



Na época, funcionou bem... o “boom” da itnernet ainda não havia assolado o globo todo... o Brasil ainda... bem... todo mundo sabe... não era qualquer um que iria ao Cadê pesquisar, ou até mesmo questionar a veracidade do filme. A fórmula funcionou bem... câmera tremidinha com retroscripting, terror subentendido, e uma névoa cercando a produção do filme... baixo orçamento e... big money!

Certamente esta grande notoriedade despertou o interesse de muitos cinegrafistas medíocres... aposto que dezenas de produções toscas, das quais nenhuma pessoa normal nem ficaria sabendo, foram feitas...

Até que surgiu outra grande bomba: Cloverfield.



A mesma ladainha... câmera tremidinha, um toque de improviso, uma introduçãozinha... aquela coisinha, pro público sentir os personagens como “mais humanos”... só que desta vez, o orçamento não foi tão modesto... explosões e monstrengos custam caro... de qualquer maneira, este me pareceu o melhorzinho das câmeras tremidinhas...

E temos também o Atividade Paranormal:

Vamos lá: mensagenzinha dedicatória aos personagens no começo... câmera tremidinha... névoa ao redor da produção.. a tentativa de fazer parecer real é tão grande, que os personagens tem os mesmos nomes dos atores... um pouquinho de backscripting... baixo orçamento... BIG MONEY!!!



Repare nas reações arrancadas do digníssimo público... teenagers americanos mentecaptos, prontos para engolir qualquer lixo...

E vou parando por aqui.. mas antes... não posso deixar de falar de REC! Puta que pariu!!



Na boa, chega né? Não dá pra ver porra nenhuma o filme inteiro!! Que o diretor enfie essa merda de câmera no cu! E o pior sou eu, que ainda assisto uma porcaria dessas!

21 de jul de 2010

Assassin's Creed 2 - not a review

Que jogo!! Assassin’s Creed 2 é uma verdadeira demonstração de como uma continuação deve ser feita... o primeiro jogo nos apresenta a fórmula: um assassino sangue no olho pulando pelas paredes, matando inimigos e fugindo de guardas... um pouquinho de informação, um pouquinho de “lore”, e toda a temática exposta, ainda que não explicada... assassinos contra templários, basicamente.



Dois anos depois, a continuação: a jogabilidade é melhorada, assim como os gráficos... missões diferentes, novos objetivos, e um grande aprofundamento no estória do jogo. E que estória... ou seria hstória?!?! Há tempos eu não jogava nada tão cativante... uma trama muito bem passada ao jogador, revelando muitas coisas, e sempre deixando espaço para mais mistérios.

Controlando “Ezio” pelos becos do coração da Renascença, o jogador encontra-se no meio da batalha atemporal entre templários e assassinos. A jogabilidade é aquela conhecida, porém melhorada... dezenas (literalmente) de animações diferenes nas matanças, muitas maneiras de finalizar os oponentes, novas armas, puzzles sinistros, máquinas mirabolantes, desafios de velocidade... tudo tunado!!



A maneira como os fatos do jogo se encaixam na realidade é demais... muitos do grandes eventos da humanidade, primorosamente tratados dentro do contexto do universo de Assassin’s Creed. E pra coroar tudo isso, belas alfinetadas no nosso tão amado cristianismo.


Só não vamos entrar em detalhes sobre “memória de DNA” (argh), pra não perder a graça...

Como eu sei que ninguém vai ler isto aqui, me limito a dizer que o universo de Assassin’s Creed conta também com um curta (Lineage), e, ao que é dito, algumas HQs a serem lançadas. Vamos esperar que não se torne um grande lixo caça-níquel como muitos outros...

15 de jul de 2010

Êta Nacib Véio!!!

Hehe... sonzeira do Bittencourt Project... um projeto do Rafael Bittencourt, guita do Angra...

Não tenho muita info a respeito, e as outras faixas so ábum (Brainworms pt. 1) parecem ser mais "tradicionais"...

Enfim... curtam o som:

13 de jul de 2010

We Pray

Como é bom ver o espírito do Senhor presente nesse mundo frio e insensato da tecnologia.

7 de jul de 2010

Compilação Incrível

Férias da faculdade... vamos ver se eu me animo a dar alguma continuidade a isto aqui...

Um video dos mais fantásticos que eu já vi...