23 de nov de 2010

Poema Budista

A flor que recende seu perfume
diante da minha porta de junco
O faz sem cuidados.
Eu, porém, sento-me e olho
Come é triste este mundo.

Poema de Jien(1155-1225), poeta e monge da escola Tendai. Poema retirado do livro "A Mente Liberta" de Takuan Soho publicado pela Editora Cultrix.

Nenhum comentário: